Polícia prende dois e realiza blitz educativa no litoral

O Centro Integrado de Segurança está realizando uma blitz educativa para divulgar aplicativo Salve Maria nas praias do litoral piauiense. A equipe da Secretaria de Segurança percorreu as praias distribuindo panfletos e informando aos banhistas como o aplicativo funciona.

O Salve Maria permite que casos de agressão praticados contra a mulher sejam denunciados de maneira anônima tanto pela vítima, como por terceiros, criando uma rede de proteção à mulher. A denúncia pode ser realizada de duas formas, sendo uma através do botão do pânico, quando a agressão é iminente ou já está ocorrendo e ainda através de um formulário com informações sobre o caso denunciado.

Ao apertar o Botão do Pânico, o aplicativo envia um alerta a uma unidade policial com a localização da vítima. Com isso, a viatura ou o efetivo mais próximo é destacado para atender o chamado, garantindo um atendimento mais célere. Já por meio do formulário, parentes, vizinhos, pessoas em geral podem anexar fotos, vídeos, imagens e áudios às informações da denúncia, também de maneira anônima.

 

Em outra ação, a Polícia Civil de Luís Correia, por intermédio do Departamento de Investigação Criminal,  com apoio dos Policiais Civis do plantão do Centro Integrado e Greco prenderam em flagrante, nesta sexta-feira (2912), no litoral do Estado, Adson Tavares Leite Siqueira Sousa com 12 micropontos de Lsd e uma pequena porção de maconha e foi autuado por Tráfico de Drogas. Adson Leite é estudante de Direito de uma faculdade de Teresina e já foi apreendido em 2015 por tráfico de drogas, quando ainda era adolescente.

De acordo com as investigações policiais, a droga seria vendida nas festas em Barra Grande, no município de Cajueiro da Praia (PI) na virada do ano.

Foi preso também Rômulo Vitorino Oliveira Boson de Castro com uma pequena porção de Skank, maconha geneticamente alterada, conhecida como “supermaconha”, e será realizado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) de porte para uso pessoal.

As diligências que resultaram nas prisões são provenientes de denúncias anônimas realizadas no formulário da Delegacia Regional de Parnaíba, que pode ser acessado no seguinte link: bit.ly/denunciapcphb

……………
Fonte: Ascom/ Secretaria de Segurança

 




 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest